29 de maio de 2009

deserto do atacama







algumas das fotos que tirei no deserto do atacama, em julho de 2008 com a mairinha, usando a leica de 1950 que meu avô me deu há alguns anos e que dei um trato para poder usar na viagem. as fotos foram tiradas na cara e na coragem, sem fotômetro, referência, apoio ou tratamento de photoshop; puro coração. a lente está muito suja, naturalmente, e vou levar a máquina para o conserto semana que vem. este resultado me deixou animadíssimo, fiquei realmente feliz de ver a qualidade que uma máquina destas tem. tenho que enquadrar uma destas fotos e dar para o meu avô, como prometido.
as fotos foram tiradas com ESTA máquina ai em cima.

28 de maio de 2009

monjolo: o monstro de lego®

monjolo, haja imaginação para um nome tosco como este: perfeito para a tosquice do monstro desenhado, hehehe. eu adoro estas tirinhas de lego, preciso fazer mais delas.

20 de maio de 2009

pedaço de deserto

ando meio lunático, afastado, os temas solitários têm me fascinado ultimamente; planetas oceânicos e aves de rapina, fundo de mar, espaço sideral, desertos, desolação e isolamento, qualquer canto onde não costumamos encontrar civilizações mas que nossa imaginação não deixa de insistir. não consigo dissociar a sequência de tirinhas do fim do mundo com meu universo infantil de brincar de lego, por horas a fio, entre os musgos e pequenas plantas de um vaso antigo, explorando cada rachadura, escaladas abismais, aquele geladinho no coração de ter um mundinho que só você conhece. confesso que estou lendo agora o 'na natureza selvagem', livro estonteante do filme não menos abrasivo de mesmo nome, lançado no ano passado e que já tinha me tirado dos eixos. não que eu pretenda sair por ai e largar toda a minha vida, pelo contrário, isso só me faz questionar aquilo que me faz mal, que fazemos sem perceber ou desnecessariamente, enfim, repensar algumas coisas. estou agora me recuperando de uma torção razoavelmente séria mas não tão grave no tornozelo, algo que me deixou parado já por duas semanas e meia e que deve durar mais uma ainda, e o tempo que me sobra, um tempo ao qual não estou habituado, fora da correria, é um tempo de pensar. sinto-me sim meio desolado, paro para pensar nesta fase da vida em que encerramos mais um pedacinho formal e entramos de cabeça por uma sobrevivência de valores que nem sempre são as virtudes que se esperaria desenvolver. é um daqueles momentos de deserto.

19 de maio de 2009

meu fim de mundo 6

acho que desenhar planetas tem qualquer coisa de recompensador, eu sou daqueles caras que torce, todo dia, para aparecer alguma notícia do espaço no jornal.

15 de maio de 2009

meu fim de mundo 5

eu ia desenhar alguma coisa com chuva, mas de repente, entrar na água me pareceu mais interessante. a pena é que é impossível não colorir as bolhinhas que a águia faz ao entrar na água, a ponta do lápis é muito grande, e já estava de saco cheio de colorir, parece que não é muita coisa, mas deixar o lápis de cor do jeito que você quer no desenho dá um trabalho do cão. adorei este, é um dos meu preferidos.

10 de maio de 2009

A Lembrança de Raimundo

beeeeeem aleatória, acho que surgiu de uma brincadeira com a maíra, na verdade nem lembro da onde. daquelas 'idiota é engraçado'.

7 de maio de 2009

meu fim de mundo 4

bem, para conseguir parar em casa sem nada para fazer tive que engessar o pé. santa paciência. eu fiquei muito na dúvida em acrescentar um balão com a fala: 'mas que diabos as formigas têm contra as minhocas?!' ao último quadrinho, mas acabei não fazendo por uma questão talvez até purista de respeitar a idéia original das tirinhas do 'meu fim de mundo' de que não usaria nenhuma escrita. de qualquer forma, achei que ficou clara a idéia, ainda que a piada não fosse feita.

4 de maio de 2009

capa de cigarra

foi agora no feriado, passamos todo o tempo lá no sítio da minha avó num internato maquetício, foram mais de 100 predinhos para uma maquete enoooreme da são joão. quem me dera sobrasse tempo para desenhar.