28 de fevereiro de 2010

blue thunder 01


esta é praticamente minha primeira experiência com colagem, no duro (j. d. salinger ficaria orgulhoso de mim por usar esta expressão). é uma nova série que estou iniciando agora, chamada blue thunder, e que logo mais explicará por si mesma o porquê do nome. quem frequenta a minha casa, mais especificamente o meu quarto, deve acabar reconhecendo este quadro, e isso é de propósito, pois quero fazer algumas alusões claras a referências pessoais minhas e cotidianas nesta sequência de trabalho que dei início agora. usei aqui papel colorpus preto 180 gramas, se não me engano, um canson texturizado, caneta tinteiro e uma aguada de nanquin, montando tudo no meu tradicional caderno colorido número 2. pode ser que eu venha a trabalhar num bloco canson solto, para me deixar mais à vontade nas experimentações e não cair na conversa de me prender demais ao resultado mais apresentável que é a proposta deste caderno em especial.

el chaltén 13.02.2010


o 'sendero' que saía da cidadezinha de el chaltén para a laguna torre, a primeira trilha que fizemos no parque. 23km, umas 7h de caminhada, duas máquinas bastante pesadas nas costas (idéia de girico, mas fazer o que, somos viciados).


maíra no bosque das árvores ressecadas, impressionante, parece que tinha dado um vento meio assim e todas morreram ao mesmo tempo.


bosque nas encostas (este estava bem vivo).




caminho encantado. estava muito mágica a luz, deu uma motivada na caminhada.


depois de andar um bom bocado, finalmente chegamos à laguna torre.


o sol lá é daqueles terríveis: por causa do frio e do vento, nem percebemos que ele queima, e bastante, mesmo passando muito protetor. depois viemos a descobrir que o buraco na camada de ozônio tem uns efeitos meio pesados na região...


brinquedinho pesado.


ele estava olhando para mim, tenho certeza!






toda a graciosidade, senão magnificência destes bichos voando caem por terra quando os vemos pousados! olha a pinta de pomba que o cara me apresenta! é inacreditável que seja o mesmo que apareceu nas fotos de cima.


decolagem parada; eles abriam as asas, o vento entrava por baixo e eles subiam praticamente n vertical, paradinhos e sem esforço.


vista da laguna torre, com o cordón adela e o egger torre ao fundo.


cordón adela e a torre egger em detalhes.


uma das poucas fotos em que nós dois aparecemos, as pedras lá não eram muito boas para ficar apoiando a câmera e inventando modas para tentar enquadrar as fotos. fora a velha desculpinha do vento, o frio...


para dizer que eu vi mesmo um condor dos andes, vulgo 'urubuzão'. enorme, praticamente uma asa delta.


e aqui já estávamos voltando de volta à cidadezinha de el chaltén, neste vale já escuro ai na frente.

26 de fevereiro de 2010

Lançamento Revista Beleléu SP


esta é a única foto que eu tenho (roubei do blog do elcerdo) do lançamento da revista beleléu aqui de são paulo, que foi lá na loja cachalote. na foto: eu, stevz, laerte, elcerdo e eduardo arruda. faltou um dos organizadores, o daniel lafayette, que não veio para são paulo na ocasião. o laerte estava só passeando ai, e eu colaborei com uma página da revista.

cantinho de caderno

hoje passei a tarde meio em crise; faz 3 semanas que não desenhava uma linha sequer, fiquei absorto pela máquina fotográfica quando fomos para a patagônia agora na metade do mês. isso porque não tivemos muito tempo parados em cada lugar, mais que isso, acampando ou caminhando muito, então quando parávamos o vento era forte e frio demais para desenhar, ou o cansaço pedia uma deitadinha, fora que a fotografia possui encantos que não preciso ficar citando aqui. não estou reclamando, vejam bem, só falando deste estranhamento que me bate ao fazer uma coisa com a qual eu costumo estar tão habituado mas que subitamente me parece distante. não é a toa que usam tanto a expressão 'enferrujado' por ai. é um fato que a mão precisa estar 'quente' para desenhar, dificilmente se chega depois de muito tempo e se tem a mesma desenvoltura de antes. só digo que é meio chato. mas ainda sim se tem algumas surpresas; como esta chitaki ai em cima que fiz rapidinho e cuja expressão ficou definida com traços não tão normais para mim. ainda assim gostei, ficou bonitinho.

perito moreno 12.02.2010


desmoronamente de um pedaço da geleira. todas estas fotos são do caminho que há na face norte da geleira do parque nacional perito moreno, na argentina, uma das maiores reservas de água doce do mundo.


são impressionante as diferentes tonalidades que o gelo adquire ao longo dos milênios.


ai a xarope estava fazendo graça com a luva enquanto tentava fotografar alguma coisa.


mairinha.




é muito gelo, mas só dá para ver um pedacinho ridículo ai.


'quando visitei a geleira em agosto de 1856', dizia o velho explorador...




aqui as margaridas sofriam um pouco mais que em el calafate com os ventinhos modestos vindos da geleira.


e no fim do passeio, um solzinho para dar um ar mais surreal ao paredão de gelo. acho que tinha uns 60m, pelo menos. faltou uma escala humana nas fotos, devia ter tirado uma com o barquinho perto.




eu fico imaginando o que acontece embaixo desta frestinha entre o gelo e a água, meio abissal.

25 de fevereiro de 2010

el calafate 11.02.2010


mairinha, no inexplicável momento em que sentimos a súbita e desajeitada vontade de vestir um casaco em pleno verão (el calafate, santa cruz, argentina lat 50º20').


multidão de margaridas. se existe uma flor em abundância por lá, é esta. campos e campos.



a lavanda do santa maria pareceu desbotada perto destas.



reserva da laguna nimez, em calafate, quase um braço do enorme e lago argentino.




flamingos se protegendo do frio cortante na laguna.


maíra aleatoriamente dançando os yeah, yeah yeahs no riozinho geladão.


o vento era tão forte que ela até se inclinou para tirar uma foto, de mim, muito provavelmente.



subidinha de areia fofa que separa a laguna nimez do lago argentino, tem até uma cerquinha para ninguém se confundir.




esta foto do gavião só foi possível com a ajuda da maíra, que muito prestativamente o 'espantava' para eu poder pegá-lo alçando vôo.

24 de fevereiro de 2010

buenos aires 08 a 10.02.2010


o gatucho carente da pracinha encontrou tudo o que queria.







os animais no zoológico. fiquei triste ao visitá-los, um lado meu prefeiria não ter entrado lá.



cemitério da recoleta e seus habitantes calorentos.




na pracinha antes de entrar no cemitério. os animais serão pontos recorrentes nas fotos, hehehe.